Há vários anos o iOS vem sendo sinônimo de estabilidade e segurança, enquanto o Android era associado a instabilidade e erros. Mas isso mudou.

O instituto Blancco Technology Group publicou um relatório de estabilidade dos sistemas operacionais mobile onde há várias informações sobre as taxas de falhas nos smartphones com Android e iOS.

As informações são sobre os tipos de erros mais comuns, crash de aplicativos, apps que apresentam mais erros, falhas no WiFi, interrupção de sinal em headsets, mau funcionamento do sistema operacional, entre outros.

De acordo com o relatório, o iOS vem apresentando menos estabilidade do que o Android, com 58% dos iPhones apresentando algum tipo de erro enquanto os testes eram executados, já os smartphones com Android chegaram a 35%.

O problema mais comum no iOS está relacionado a erros nos apps, chegando a 65% do total de iPhones apresentando as falhas (com mais visibilidade nos iPhones 6 e 6s), seguido por erros no WiFi, headset, dados móveis e recepção de sinal. Já no Android o problema mais comum está relacionado a câmeras e carregamento, com 10% dos smartphones apresentando as falhas, seguido por erros no touch, speaker e microfone.

O relatório também informa que os aparelhos com Android que mais apresentam falhas são: LeTV Le1S, LeTV Le1S Eco, Lenovo Vibe K5 Plus, Lenovo Vibe P1m e Lenovo K3 Note. Já em relação as fabricantes com aparelhos apresentando erros a Samsung ficou em primeiro lugar, seguida pela Lenovo, LeTV, Motorola e ASUS.

Na relação de apps problemáticos em cada sistema operacional, a posição ficou assim: iOS: Snapchat (17%), Instagram (14%), Facebook (9%), Facebook Messenger (5%), Google (3%), Pinterest (2%), GroupMe (2%), Pandora (2%), Google Photos (2%) e WhatsApp (2%).

Já a posição dos apps problemáticos no Android foi a seguinte: Google Play Services (12%), Google Contacts Sync (5%), Address Book (5%), TouchWiz Home (5%), Launcher (4%), Google Play Store (3%), Mobile Transfer (2%), Messages (2%) e Setup Wizard (2%).

O relatório completo pode ser baixado diretamente no site da Blancco, clicando aqui.

FONTEBlancco
COMPARTILHE

Deixe uma resposta