Co-fundador da Siri diz que Apple está pedindo muito da assistente virtual

Em 14 de outubro de 2011, a Siri estreou no iPhone 4s, dando a Apple uma grande vantagem na “corrida” por uma assistente virtual aprimorada. Embora a empresa tenha melhorado bastante a Siri em sete anos, Alexa e Google Assistant são considerados os dois melhores assistentes virtuais disponíveis no mercado. O co-fundador da Siri, Norman Winarsky, explica que o problema está no fato da Apple pedir muito da Siri, exigindo que ela seja demais para muitas pessoas.

Winarsky explica que, antes da Apple comprar a Siri em 8 de abril de 2010, o plano era usar a assistente como auxiliar para viagens e entretenimento. Por exemplo, ao chegar no aeroporto, a Siri já saberia sobre o voo cancelado e encontraria outra maneira do usuário chegar em seu destino no momento em que o iPhone fosse tirado do bolso. Assim que a assistente alcançasse esse “padrão”, a empresa expandiria lentamente suas capacidades.

Imagem: MakeUseOf

No entanto, os planos mudaram totalmente. A Siri foi projetada para ajudar os usuários do iOS em todas as áreas da vida, seja configurando alarmes, informar dados meteorológicos ou indicando uma pizzaria mais próxima. Enquanto a Apple tem lutado para deixar a assistente mais inteligente, Alexa e Google Assistant não tem muitos problemas em lidar com uma ampla gama de perguntas.

Amazon Echo Dot traz a Alexa
Imagem: Star Tribune

“Estes são problemas difíceis e quando você é uma empresa que lida com um bilhão de pessoas, os problemas ficam cada vez mais difíceis. Eles provavelmente estão procurando um nível de perfeição que não conseguem”, concluiu Winarsky. De qualquer forma, a briga pela assistente virtual mais “esperta” continua acirrada.

Via
PhoneArena

Wagner Pedro

Apaixonado por tecnologia e smartphones, editor de conteúdo audiovisual e redator do Tudo em Tecnologia.

Você vai gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close