Já é algo bem comum a Apple reduzir os preços dos iPhones após a chegada de suas novas versões. Nos EUA geralmente a redução fica na casa dos US$100 dólares para os modelos desbloqueados. Já no Brasil, a empresa de Cupertino resolveu dar bons descontos, porém o preço final do iPhone 6 16 GB ainda ficou o mesmo de seu lançamento em 2014.

Para quem não se lembra, em janeiro a Apple aumentou em R$300 os preços dos iPhones, mas agora depois do lançamento do 6s e 6s Plus, a empresa reduziu em até R$400 reais os valores, dependendo da versão. O iPhone 6 agora parte de R$3199, mesmo valor do lançamento em 2014, mas a versão com 64 GB ganhou redução de R$400 e parte dos R$3499 (ante R$3599 do lançamento). Já o iPhone 6 Plus parte dos R$3499, ante R$3599 em seu lançamento.

iPhone 5s

O iPhone 5S em setembro de 2014 teve o preço reduzido de R$2799 para R$2199, porém subiu R$300 e agora ganhou um desconto de R$200, ficando por R$2299 para versão 16 GB, enquanto o de 32 GB sai por R$2499, redução de R$400.

5 COMENTÁRIOS

  1. Não dá para acreditar, esse preço ainda é muito caro, Z3, Galaxy S5, LG G3, fora os exagerados Notes e Moto Maxx, em qualquer operadora com assinatura 4G média estão com preços ótimos. Brasil um país de tolos.

    • Realmente o preço do iPhone 6 é bem alto . Mas um grande ponto que joga contra é que ele é importado. Outra vez comprei um em uma promoção por R$2560 e a nota fiscal os impostos chegavam quase aos R$1000.

      Fiz o pedido de um Zenfone 2 hoje, na nota, tem aproximadamente R$500 de impostos. Isso em um aparelho que saiu por R$1274 na promoção hoje.

      90% do custo Brasil são os impostos, infelizmente. E ainda vão subir mais. A gente trabalha para sustentar a pirâmide do Desgoverno.

      • Thalisson, essa é a explicação leiga para os preços absurdos que cobram no Brasil as empresas estrangeiras por seus produtos. A carga tributária nos países ricos é um pouco maior do que a brasileira. O que pesa é a margem de lucro absurda que a Apple coloca sobre os preços de venda no mercado brasileiro. Se a Apple se interessasse pelo mercado brasileiro teria construído uma fábrica no país.

Deixe uma resposta