A eleição de Dounald Trump como Presidente dos Estados Unidos pegou a todos de surpresa por contrariar todas as pesquisas de boca de urna feitas no país, indo em direção completamente oposta às previsões. E o impacto disso não será apenas na expressão de espanto das pessoas, mas também terá consequências no mercado de eletrônicos (entre outros).

O candidato à presidência recém-eleito informou no início do ano que obrigaria as empresas norte-americanas a repatriar suas linhas de produção e trazer todas as suas unidades para os EUA.

 “Nós vamos fazer a Apple construir os seus ‘malditos’ computadores e coisas neste país, em vez de outros países”, afirmou Trump no início do ano. “A Apple e todas estas grandes empresas terão de fazer seus produtos nos Estados Unidos e não na China ou Vietnã. ”

Se Donald Trump realmente cumprir a promessa que fez, causará uma calamidade enorme nas grandes empresas que terceirizam seus trabalhos e possuem unidades fora do país. Uma análise feita pelo professor Jason Dedrick, da Syracuse University, informou que empresas como a Apple conta com uma complexa e enorme cadeia de fornecimento para construir um iPhone, se adequando a cada região em que atua.

Com as medidas anunciadas por Donald Trump, a Apple, entre outras diversas empresas, teria um aumento de custo enorme na fabricação de seus eletrônicos e seriam obrigadas a repassar esse aumento para o consumidor final.

O grande ponto é que as empresas aproveitam a mão de obra barata de outros países, além de matéria-prima mais em conta, para reduzir os preços de seus aparelhos. Mudando essas fábricas para os EUA iria tornar a produção internacional inviável por oferecer um aumento enorme no custo inicial através de mão de obra mais cara e pagamento maior de impostos.

No final de toda essa novela quem deverá pagar a conta será o consumidor, que será obrigado a pagar mais caro pelo aparelho que tanto deseja.

COMPARTILHE

3 COMENTÁRIOS

  1. Isso para os produtos que forem vendidos no próprio EUA. Se a Apple quiser continuar fabricando na China para mandar pro resto do mundo continuará. Na teoria só aumentariam os preços nos EUA, mas como a demanda lá é muito forte puxariam os preços nos outros países pq a fábrica chinesa perderia tal demanda.

Deixe uma resposta