Depois que a Lenovo comprou a Motorola e assumiu o controle da empresa muitos ficaram na dúvida sobre a capacidade da empresa chinesa continuar o bom trabalho dos americanos com o grande sucesso do Moto X2 e seus sucessores.

Após o apagado Moto X Style e o resistente Moto X Force, o Moto Z chegou com incríveis destaques, sendo um smartphone modular bem mais eficiente que o LG G5 que conhecemos. Mas vamos descobrir agora do que o Moto Z é capaz em uma análise completa!

ESPECIFICAÇÕES DO MOTO Z:

  • CHIPSET: Snapdragon 820 64-bit;
  • PROCESSADOR: Quad-core de até 1.8 GHz;
  • GPU: Adreno 530;
  • MEMÓRIA RAM: 4 GB;
  • MEMÓRIA INTERNA: 64 GB;
  • CÂMERAS: 13 megapixels com flash dual-LED e frontal com 5 MP;
  • TELA: 5.5″ AMOLED com resolução QuadHD;
  • BATERIA: 2600 mAh;
  • DIMENSÕES: 15,3 cm x 7,5 cm x 5,2 mm (A x L x E)
  • SISTEMA: Android 6.0.1.

REVIEW MOTO Z

ACABAMENTO e DESIGN

Review Moto Z

Desde a primeira geração do Moto X que a Motorola acertou no acabamento do smartphone e com os sucessores não foi diferente. O Moto Z chegou sob controle da Lenovo e a marca fez um super trabalho, pois a construção do Moto Z é digna realmente de um TOP de linha.

Na lateral ele é em metal, mas a traseira é em vidro, o que pode quebrar facilmente em tombos, por isso tem que ter maior atenção com ele. O Moto Z é muito firme e sólido, ou seja, construção excelente!

Moto Z

Já em relação ao design podemos sem dúvidas colocá-lo entre os mais belos da atualidade. É muito elegante e a espessura de somente 5,2 mm ajuda a deixá-lo mais lindo. O ponto negativo da versão branca são os sensores a amostra, algo que não acontece na versão preta e o leitor biométrico ficou meio perdido, parecendo um botão, porém pessoalmente não é tão estranho como nas fotos. Ao vivo o Moto Z encanta!

Lindo e com ótima construção, porém é enorme! Com 15,3 cm de altura, ele é um dos maiores com tela de 5.5″ e como é muito fino, acaba não tendo a melhor ergonomia, porém nada que comprometa. Dá próxima vez dá pra Lenovo fazer um trabalho melhor e diminuir as bordas…

CÂMERAS

Desde o Moto X1 que o aparelho não se destaca em relação as câmeras e sempre fica para trás! Isso aconteceu com Moto X2, Moto X Force, Moto X Style. Agora com o Moto Z a Lenovo equipou o aparelho com um sensor traseiro de 13 megapixels com abertura f/1.8 e capaz de gravar filmes em 4k, além de estabilização óptica de imagem e foco a laser.

Mas na prática o sensor traseiro realmente se mostrou abaixo dos concorrentes! Ele fica muito longe da qualidade das imagens capturadas pelo Galaxy S7 e OnePlus 3. Mas a qualidade é satisfatória e a abertura f/1.8 ajuda nas fotos com pouca iluminação.

Já a câmera frontal tem 5 megapixels com abertura f/2.2 com qualidade máxima de 1080p e o Moto Z tem o destaque do flash LED. E a qualidade das fotos são boas, porém mesmo desativando o recurso de embelezamento, ainda tem vestígios… A câmera não decepcionar e é mais que suficiente para redes sociais, etc.

Em um resumo geral, a câmera do Moto Z não é a melhor do segmento, porém a Lenovo tem que se mexer para próxima geração e deixar essa fama da linha de sempre ficar para trás quando o assunto são câmeras.

CONEXÕES

Hoje muda-se muito pouco no quesito conexões de um flagship para outro! O Moto Z tem tudo que esperamos para sua categoria: NFC, 4G LTE, Bluetooth, GPS com A-GPS e GLONASS, mas tem o que alguns deixam de lado, como slot para cartão de memória e Rádio FM. A USB é Tipo-C e claro, conta com tecnologia de carregamento rápido. Vale ainda lembrar que ele é dual-SIM, um bom destaque para quem usa 2 operadoras.

Seu ponto polêmico aqui é a falta do conector 3.5mm para fone de ouvido, pois ele é tão fino que ficou inviável, mas aqui pelo menos tem essa justificativa, ao contrário do iPhone 7. Lembrando que ele vem com adaptador USB Tipo-C para 3,5mm para usar os fones padrão.

DESEMPENHO

Performance sempre foi um dos destaques da linha Moto X e com o Z não é diferente! Ele vem com o poderoso e eficiente Snapdragon 820 com 4 núcleos de processamento Kryo, sendo 2x 1.6 GHz e 2x 1.8 GHz aliado a bons 4 GB de memória RAM e a GPU Adreno 530, o que empurra muito bem o aparelho.

Usando no dia a dia ele é muito rápido em qualquer situação. Conseguimos executar 18 apps em multitarefa, porém quando chegou em 20 aplicativos, ele já encerrou algum que estava em segundo plano. As respostas são muito rápidas e a performance é o que esperamos de um top!

Testamos o smartphone com games pesados, como o NOVA 3 e ele rodou muito liso e com excelente qualidade gráfica! Mesmo após vários minutos de jogatina não tivemos problemas com superaquecimento ou perda de performance.

Mesmo sendo uma versão com clock mais baixo do Snapdragon 820, o Moto Z se mostrou muito rápido em qualquer tarefa.

SISTEMA

Desde a primeira geração do Moto X a Motorola inovou com um sistema praticamente puro, o que ganhou status de puro na segunda geração. Mas sabemos que não é bem assim, pois ele tem alguns recursos a mais, o que é muito bom e não atrapalha em nada a performance se comparado com o S.O limpo.

O sistema é fluído e com respostas rápidas. Porém sentimos falta de recursos úteis, com um gerenciador de arquivos e um contador de mensagens não lidas nos ícones de apps, como WhatsApp e Mensagens.

Mas um recurso bem legal é o app Moto, onde é possível configurar comandos de voz para usar seu Moto Z sem sequer tocar nele. Esse é um diferencial desde quando o flagship era o Moto X.

Quem gosta de smartphone atualizado com agilidade vai ficar plenamente satisfeito com o Moto Z, pois ele ganhou atualização para Android 7.0 já tem um bom tempo, enquanto o Galaxy S7 não recebeu o update, pelo menos não no Brasil.

O leitor biométrico é muito rápido e preciso, porém ele ficou parecendo um botão Home, porém só tem a função de desbloquear e quando ele já está desbloqueado, ao colocar a digital ele bloqueia o aparelho novamente.

Em resumo, é o Android 7.0 Nougat que sem dúvidas é um sistema bem estável, seguro, sendo que o Moto Z já roda o patch de segurança de janeiro. E claro, toda Play Store com seus milhares de apps, games, etc.

TELA

O display do Moto Z tem 5,5 polegadas, é uma tela AMOLED com resolução QuadHD de 1440 x 2560 pixels. E na prática fiquei impressionado com a qualidade do display! Deixou o OnePlus 3 muito para trás nesse ponto, não falando em resolução, mas sim na qualidade da tela.

As cores são ótimas, vibrantes e o brilho muito bom, sendo suficiente para usar em qualquer ambiente sem problemas. O ângulo de visão é bom.

BATERIA

Quando a Lenovo apresentou o Moto Z ao mundo muita gente se perguntou se a bateria de 2600 mAh era capaz de oferecer uma autonomia bacana, mas agora temos a resposta para vocês: a bateria é um dos grandes pontos negativos do aparelho!

Moto Z com Moto Snap Power Pack

Os 2600 mAh não são suficientes para entregar uma autonomia bacana, pois em nossos testes ele alcançou no máximo 4 horas de tela e usando o Snap Power Pack ganhou apenas pouco mais de 1 hora, ou seja, somando, vai chegar ai as 5 horas e 30 minutos, algo que o Galaxy S7 já faz. Quem levar o Moto Z sem o Snap vai sofrer, pois usando muito 4G, espere algo em torno das 3 horas de tela.

Mas para amenizar, pelo menos ele conta com tecnologia de carregamento rápido e já conta com carregador Turbo em seu kit.

MOTO SNAPS

MOTO INSTA-SHARE PROJETOR

Vou começar falando do melhor! Sem dúvidas o Snap com projetor embutido é o mais interessante, mais útil e simplesmente incrível! Foi excelente a experiência de assistir filmes usando o Moto Z e o Snap de projeção. A qualidade não é HD, claro, porém é ótima para assistir em casa no quarto os melhores filmes em 70″.

A bateria interna do projetor segura 1 hora de carga, assim que acaba, ele passa a usar a bateria do smartphone e combinado dura tranquilo para assistir um filme de 2 horas, por exemplo.

SOUNDBOOST JBL

A qualidade de áudio do Snap é simplesmente fantástica! Tem bons graves, bom volume, ou seja, é muito bom ouvir músicas usando o acessório, porém o problema é seu preço, R$699 é salgado demais e uma boa caixinha Bluetooth substitui facilmente esse Moto Snap.

Para quem curte som de qualidade e potente, é excelente, porém seu preço não compensa.

POWER PACK

Que a bateria do Moto Z tem baixa autonomia, isso já falamos e pra isso que o Snap Power Pack entra em ação com sua bateria de 2220 mAh! Na prática o acessório consegue dá mais 1 hora e 30 de autonomia de tela, ou seja, mais que o suficiente para uma emergência.

O kit do Moto Z com Snap Power Pack (Moto Z Power) custa uns R$400 a R$500 mais caro que o Moto Z Style, bem, não vale muito a pena gastar tudo isso, até porque o smartphone fica muito grosso, porém para quem fica longe de tomadas, é uma opção.

MOTO STYLE SHELLS

VALE A PENA?

Com um grande apelo no design e sua finíssima espessura, o Moto Z é um aparelho realmente muito bonito, elegante e muito bem construído.

A configuração do Moto Z não deixa a desejar, ele entrega ótima performance, mesmo com uma versão “menos potente” do Snapdragon 820. Rodamos bons games e tudo foi bem lisinho e sem engasgos.

Sem dúvidas vale a pena SIM comprar o Moto Z, pois ele oferece hardware potente, ótima construção, belíssimo design, só não espere grande autonomia da bateria. E sem esquecer dos Snaps, o projetor é excelente para assistir vídeos em casa, o que é um grande diferencial, porém isso tem um preço salgado… Quem não está disposto a gastar tanto, pode levar o Moto Z Style que aparece até mesmo por menos de R$2000.

NOTAS
CÂMERAS8.7
SISTEMA9.3
DESEMPENHO9.3
TELA10
CONSTRUÇÃO9.5
BATERIA6.5
CUSTO-BENEFÍCIO9.2
Reader Rating5 Votes4.9
DESTAQUES
Design
Moto Snaps
Tela
Sistema atualizado
NEGATIVOS
Bateria
Preço dos Snaps
Muito grande
8.9
COMPARTILHE
Ex-estudante de Educação Física. Abandonei a carreira de professor de Educação Física para entrar de vez no mundo dos Gadgets com o Tudo em Tecnologia. Seja bem-vindo ao Tt!

5 COMENTÁRIOS

  1. Pelos estudos que venho fazendo, é um excelente celular, porem leve em consideração que a bateria não é dos mais top, mas pense que todos os smartphones tem seus pontos negativos…

Deixe uma resposta