Finalmente o misterioso caso do Note7 explosivo foi revelado. A Samsung acaba de divulgar uma nota explicando todo o processo e as causas das explosões envolvendo diversos Galaxys Note7.

De acordo com a fabricante, o problema era, como todos já suspeitavam, na bateria, e isso em dois estágios.

O primeiro estágio envolvia as baterias originais, onde o defeito foi localizado no canto superior direito da bateria. De acordo com a Samsung, os eléctrodos estavam propensos a causar colapsos na separação entre as abas positivas e negativas, o que acarretava em um curto-circuito e, consequentemente, na explosão do aparelho.

Já o segundo estágio envolveu as baterias de substituição (que deveriam ser utilizadas para resolver o problema anterior). O fornecedor da segunda leva de baterias produziu os componentes com pressa para atender a alta demanda da Samsung, o que acabou acarretando em falha nos testes de qualidade e, mais uma vez, nas explosões dos aparelhos.

Para chegar ao fato que originou os problemas, a Samsung envolveu 700 funcionários dedicados a encontrar a origem do defeito, além de utilizar um total de mais de 200mil telefones no processo.

Agora, para evitar que problemas do gênero aconteçam no futuro, a Samsung criou um teste de qualidade em oito passos, onde inclui desde o visual das baterias até testes de durabilidade, evitando, assim, que novas falhas passem despercebidas.

Além da solução do problema, a Samsung também informou que está trabalhando em um substituto do Galaxy Note7, o Galaxy Note 8, e que deverá apresentar o novo smartphone nos próximos meses.

Deixe uma resposta