A companhia japonesa Kouziro anunciou um tablet um tanto quanto excêntrico. Pasmem, se trata de um monstro de 21,5 polegadas!!! Não sei se tablet seria o nome apropriado para um dispositivo que de longe é portátil. O FT 103 não possui bateria, é necessário ligá-lo na tomada,  esse “brinquedinho” é vendido junto com um apoio para mesas.

Sua configuração é bem modesta para todo este tamanho, seu processador é um TI OMAP 4428 de 1Ghz e apenas 8GB de memória interna, o sistema operacional é o Android 4.0 (Ice Cream Sandwich). Seu diferencial é a resolução de 1080p e a entrada HDMI, isto possibilita que o aparelho seja usado como um monitor secundário para outros dispositivos. O FT 103 conta com 2 portas USB 2.0, 1 porta micro USB 2.0 e porta Ethernet.

Depois de pensar que já vimos de tudo, aparece uma coisa um tanto quanto bizarra. Dificilmente eu conseguiria um argumento plausível para alguém adquirir um desses. A propósito, seu lançamento será no final de julho deste ano (2012) e custará em torno de $437,00.

Fonte: Gapsis

Imagens : Gapsis

5 COMMENTS

  1. Não é um tablet, é só um monitor touchscreen. As Smart TVs já têm entradas USB, aceitam acessórios externos e rodam aplicativos. O diferencial desse monitor aí é que ele usa o Android, em vez de um firmware proprietário, então deve permitir uma customização mais profunda e oferecer mais opções de aplicativos.

    O motivo pelo qual alguém compraria isso é o preço. Uma Smart TV desse tamanho custa mais ou menos a mesma coisa e certamente possui menos recursos.

      • Monitor touchscreen não é tablet porque é monitor, que nem esse aí do post. Isso não é um tablet, é um monitor touchscreen.

        Toda SmartTV tem sistema operacional, se não ela não funcionaria. Observe a definição de sistema operacional: “Um sistema operacional é um programa ou um conjunto de programas cuja função é gerenciar os recursos do sistema, fornecendo uma interface entre o computador e o usuário.” (fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_operativo )

        O sistema operacional é quem administra o hardware e aloca recursos para cada uma das tarefas. Ele pode ser customizável e flexível como são o Windows e o Android, ou pode ser fechado e rígido como costumam ser as SmartTVs originais, mas ele continua sendo um sistema operacional.

        A única diferença deste monitor, repito, é que ele usa o Android em vez de um SO proprietário, só isso. Não é um tablet. Android não é exclusividade de tablets e smartphones. Se eu colocar Android num relógio, ele continua sendo um relógio. Se eu colocar Android numa geladeira, ela continua sendo uma geladeira.

        Relógios e geladeiras não viram tablet por terem Android. O mesmo vale para monitores: continuam sendo monitores, mesmo com Android.

  2. Vamos analisar somente pelos aspectos técnicos.
    Dispositivo com um processador Texas Instrument OMAP 4428 de 1Ghz com 8GB de armazenamento, roda o android 4.0 em uma tela sensível ao toque e tem saida HDMI, entrada USB e Ethernet.

    Pelo que temos no mercado estamos descrevendo um tablet…

    O que perturba nesse dispositivo é o tamanho da tela, que é excessivamente grande. Eu particularmente prefiro comprar um tablet como o Nexus 7 e um 2º monitor do que ter esse combo bizarro. kkkkk

Deixe uma resposta