O popular e querido smartphone Motorola Moto X de 2ª geração teve suas vendas proibidas em todo o estado de Minhas Gerais. A decisão foi tomada pelo Procon do estado após lesões aos direitos do consumidor.

O órgão estadual intimou a Motorola a comunicar sua rede de distribuição sobre a proibição das vendas do aparelho, além de multar a fabricante em R$ 809.702,00 com o valor destinado ao Fundo Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (FEPDC).

De acordo com a informação, os motivos que levaram à proibição das vendas do smartphone foram após duas tentativas de acordo entre a fabricante e seus consumidores para que a mesma oferecesse o reparo ou restituísse o valor pago pelos dispositivos ainda em garantia, além de outros compromissos não cumpridos pela empresa.

Além de proibir as vendas, o Procon também divulgou que o Moto X 2014 possui vício de qualidade por inadequação e é impróprio ao uso, saindo de fábrica com a sua “morte” praticamente datada.

Até o momento a Motorola (sob o controle da Lenovo) ainda não se pronunciou sobre o caso. Vale lembrar também que o Moto X 2ª Geração já se encontra fora de linha, não sendo mais fabricado pela empresa.

Motorola se defende e nos enviou comunicado:

“A Motorola Mobility informa que a 2ª Vara da Fazenda Pública de Belo Horizonte concedeu medida liminar no último dia 14 de dezembro de 2016 em mandato de segurança que suspende a decisão administrativa do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG). A Justiça entendeu que não há fundamento na medida proferida pelo MPMG, não existindo risco à saúde ou à segurança do consumidor. A empresa ressalta ainda que nunca realizou comunicação que mencionasse que a tela deste produto é mais resistente a riscos, queda ou quebra.”

Deixe uma resposta