Confira os maiores fracassos da tecnologia em 2017

Apesar de vários acertos, 2017 também foi marcado por fracassos na área tecnológica. The New York Times criou uma lista para relembrar alguns erros da tecnologia desse ano. Confira:

Uber

Não temos dúvidas de que o aplicativo está crescendo a cada ano que passa. No entanto, ele entrou nessa lista por suas falhas em gerenciar a empresa e sua cultura. Como pudemos observar, A empresa sofreu vários escândalos esse ano. Desde funcionárias denunciarem assédio sexual no escritório até uma forte acusação feita pela Waymo, unidade de desenvolvimento de carros autônomos da Alphabet, que processou o Uber, acusando-o de roubar seus segredos.

E ainda tem mais. A própria Uber informou que hackers roubaram 57 milhões de contas de motoristas em outubro de 2016. Também, Travis Kalanick se demitiu do cargo de CEO, em meio à revolta dos acionistas. Diante dessa reviravolta, o novo chefe, Dara Khosrowshahi, tenta a todo custo levantar a reputação da empresa.

Contas falsas no Twitter e Facebook

Todos os anos, as redes sociais são bombardeadas por perfis Falsos. No entanto, em 2017, muitos internautas foram alvo de propaganda e fake news em 2016, impulsionados por agentes russos. Muitos dos posts feitos no Twitter e Facebook, que provavelmente influenciaram as eleições dos Estados Unidos em 2016, eram falsos.

Investigações  que foram feitas esse ano mostraram que operadores russos usaram centenas de milhares contas automáticas que fingiam ser pessoas reais para propagar mensagens contra a democrata Hillary Clinton.

Embora o dano seja irreversível, o Facebook e o Twitter estão se esforçando para detectar todas essas contas e eliminá-las das plataformas.

Equifax

Imagem: The New York Times

A Equifax, uma das maiores empresas de crédito ao consumidor nos EUA foi um forte alvo de ataque cibernético. Os Hackers exploraram um ponto fraco no software da empresa para acessar os documentos de nada menos que 145 mil clientes.

Pra piorar a situação, segundo o The New York Times, nenhum consumidor escolhe ser cliente da Equifax, o que significa que qualquer um que tenha um algum crédito no mercado provavelmente está vulnerável ao ataque. Trocar as senhas não deverá por si só resolver o problema, que poderá ser prolongado por anos.

Houve inclusive executivos da empresa que se demitiram depois do ocorrido Até o momento, a Equifax não se pronunciou sobre como fará para se proteger contra os próximos ataques.

 

Via
ÉpocaNegócios

Você vai gostar

Deixe uma resposta

Close
Close